MAIKON.biz » Fake News: O que é, tipos de propagadores e seus objetivos

Fake News: O que é, tipos de propagadores e seus objetivos

Fake News, o que é , tipos de propagadores e seus objetivos
Conheça 8 dicas para não ser enganado pelas Fake News. O que é? Quais os tipos de disseminadores? Seus alvos e objetivos com essas notícias falsas.

O que é Fake News – definição

Fake News – notícia falsa, em inglês – são notícias que trazem informações falsas disfarçadas de reportagens verdadeiras.

Não é uma piada, uma obra de ficção ou uma peça lúdica, mas sim uma mentira revestida de artifícios que lhe conferem aparência de verdade.

Essas notícias falsas são consideradas um sintoma da pós-verdade, movimento caracterizado pela valorização dos conteúdos carregados de emoção ou opinião em detrimento de informações devidamente verificadas.

As notícias falsas são escritas e publicadas com a intenção de enganar, a fim de obter ganhos financeiros ou políticos.

Tipos de propagadores de Fake News

  • Militantes empenhados em atacar a reputação dos adversários políticos de seus candidatos.
  • Empresas ou indivíduos que fabricam notícias falsas com o intuito de ganhar dinheiro por meio dos anúncios — sobretudo vindos do Google AdSense.

Tipos de Fake News

  • Fake News Positivas  – quando a notícia falsa exalta qualidades, vantagens e engrandece a imagem de pessoa / empresa ou dão a essa vantagens ou méritos.

Exemplo: “Candidato “Y” irá acabar com o Imposto de Renda”

  • Fake News Negativa – Quando a notícia falsa buscam denegrir a imagem de uma pessoa / empresa ou atribuir uma responsabilidade que trás prejuízos.

Exemplo:  Empresa “X” usa cocaína em maionese.

Principal objetivo dos disseminadores de Fake News

O principal objetivo dos disseminadores das notícias falsas é a obtenção de dividendos políticos ou pecuniários com a viralização.

Como ganhar dinheiro com Fake News

Há inúmeros sites que tem como principal objetivo o aumento do número de visitas. Em geral, são sites com excesso de propagandas nas páginas das notícias – como Google AdSense e outros.

Estas propagandas quando visualizadas ou clicadas, geram remuneração para o proprietário do site ou blog.

Para aumentar rapidamente o número de acessos, os proprietários criam Fake News que rapidamente viralizam na internet e estimulando a curiosidade dos leitores a acessarem e compartilharem.

Alvo predileto das Fake News* no Brasil

A VEJA examinou o conteúdo de doze sites conhecidos por difundir inverdades. Depois de analisar 534 notícias comprovadamente falsas divulgadas por esses sites, constatou que os alvos prediletos das mentiras são, pela ordem, o ex-presidente Lula, o presidente Michel Temer e o juiz Sergio Moro.

 Alvo predileto das Fake News

Fonte: VEJA

*Foram consideradas as 4591 postagens campeãs de compartilhamento entre cerca de 12 000 publicações das páginas “Apoiamos a Operação Lava Jato – Juiz Sergio Moro”, “Bruno Gagliasso Amor e Fé”, “Click Política”, “Diário do Brasil”, “Operação Militar”, “Pensa Brasil”, “Pensa Brasil 2”, “Platão Brasil”, “Por um Brasil Melhor”, “Mexeu com o General Mourão, Mexeu com Toda Nação”, “Notícias Brasil On-line”, “Você Precisa Saber”  (Arte/VEJA)

8 Dicas para não ser enganado pelas Fake News

1 – Checar a credibilidade da fonte

Em primeiro lugar, verifique se a notícia ou artigo compartilhado em redes sociais também foram publicados em veículos de imprensa profissional. Os veículo de comunicação tem por regra verificar a informação com as fontes.

2 – Ficar atendo a data das publicações

Em alguns casos, Fake News não são necessariamente falsas, mas o link remete a fatos passados que são trazidos à tona fora do contexto por indivíduos com propósitos específicos.

3 – Observar o link da notícia

Para aumentar a viralização da notícia falsa, alguns sites propagadores usam domínios inspirados em veículos de tradicionais, mas com pequenas mudanças na grafia.

Existem vários sites de humor e outros que tentam nos induzir ao erro, utilizando fontes ou logos similares às de jornais conhecidos.

4 – Prestar atenção na aparência da página e do conteúdo

Porque, sites profissionais, em geral, exibem páginas organizadas, fotografias com créditos do autor e textos sem expressões exageradas e ofensivas.

Da mesma forma, páginas confiáveis também detalham sua origem e de seus autores na seção Sobre.

Desconfie de sites sem essas característica ou anônimos.

5 – Verifique se a reportagem tem referências

Além disso, reportagens feitas por profissionais têm links de referência para outras páginas, para determinar autor ou estudo acadêmico.

Um artigo sem essas características pode não ser confiável.

6 – Pesquisar a credibilidade do autor

Devido a, jornalistas e articulistas serem pagos para escrever. Ao ler artigos assinados por um determinado autor, verifique no Google se há outras publicações em seu nome em sites ou veículos confiáveis.

7 – Não acreditar em tudo que amigos e familiares compartilham

A proximidade afetiva faz com que as pessoas confiem mais facilmente em conteúdo compartilhado por amigos e familiares.

Certamente, o problema é que até pessoas que se gosta podem ser enganadas por Fake News.

8 – Leia a matéria completa, não apenas sua chamada

Acima de tudo, antes de compartilhar, leia a matéria completa. Em agosto de 2016 – uma das pesquisas mais atuais sobre leitura de chamadas vs número de leituras de uma matéria completa -, a revista Forbes apontou que apenas 59% dos links compartilhados em redes sociais são lidos na íntegra.

Ou seja, mais de metade das notícias compartilhadas possuem alto potencial de serem falsas ou gerarem um sentimento equivocado em relação à matéria completa.

Fonte: Universidade de Salford, FactCheck.org. Universidade da Pensilvânia

Infográfico

Como não cair nos Boatos de internet

Iniciativas de combate a Fake News no Brasil

Como resultado, várias iniciativas de veículos de comunicação vem sendo desenvolvidas.
No Brasil, o trabalho realizado pela Agência Lupa e pela A Pública é referência na checagem de fatos governamentais e discursos de figuras políticas e vale ser acompanhado de perto.
O G1 lançou sua coluna FATO OU FAKE que checa conteúdos suspeitos e esclarece o que é real e o que é suspeito. o GLOBO tem a coluna “É isso mesmo?

2 ferramentas para identificar uma fake news

2. Anewstip
Esta é a Anewstip, ferramenta que rastreia notícias relativas aos termos pesquisados. A meta da Anewstip é ajudar a monitorar e diminuir o impacto que as notícias falsas causam na sociedade.

1. Hoaxy
De modo similiar, além de uso fácil e intuitivo, o site Hoaxy entrega até você todos os sites onde determinada notícia foi publicada. Desse jeito, você pode checar se ela vem de fontes confiáveis. O portal também é muito usado por assessorias de imprensa. Através dele, as marcas buscam saber o tamanho do “estrago” ao terem seus nomes vinculados a manchetes tendenciosas.

Teste sua capacidade de identificar Fake News

Você sabe identificar uma Fake News? O site Factitious criou um teste para você testar suas habilidades. Acesse http://factitious.augamestudio.com e teste as suas.

Fontes: 

O Globo – https://oglobo.globo.com/sociedade/educacao/guiaenem/como-identificar-fake-news-nao-ser-enganado-na-internet-22100001

Revista Veja – https://veja.abril.com.br/revista-veja/a-ameaca-das-fake-news/

Factitious – http://factitious.augamestudio.com

Referência para livros e trabalhos acadêmicos 


RICHARDSON, Maikon. Fake News: O que são, tipos de propagadores e seus objetivosDisponível em: <https://maikon.biz/fake-news-o-que-e/. Acesso em: 25/02/2018*

*Troque pela data de acesso que você fez
Inscreva-se para a palestra Online Como criar um plano de Marketing de Alto Impacto
Palestra Online GRÁTIS!

Sobre a MAIKON.biz

MAIKON.biz é uma empresa especializada em Cursos Online de Marketing Digital para empresas interessadas em aumentar as vendas de produtos e serviços usando todo o poder da internet.  

Buscando resultados?

Também oferecemos Consultoria de Inbound Marketing, Mentoria para Startups, Assessoria de Marketing Digital e Cursos In Company.

Melhore ainda mais esse conteúdo. Deixe uma contribuição.